Conheça os psicobióticos, novos aliados da saúde mental

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) não deixam dúvidas: somos o país mais ansioso do mundo. Cerca de 9,3% da população sofre com esse quadro, o que contabiliza mais de 18,6 milhões de pessoas. Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, a situação se intensificou. Isso foi comprovado por uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), que revelou que 80% dos brasileiros estão se sentindo mais ansiosos, 65% expressam sentimentos de raiva, 63% apresentam sintomas físicos provocados por esses fatores, cerca de 50% relatam alterações no sono e 34,2% dos 1 996 participantes sofrem com sinais de transtorno de estresse pós-traumático.

Que a chegada da Covid-19 prejudicou a nossa saúde, especialmente a mental, não é novidade para ninguém, mas o que muita gente não sabe é que a solução para esse problema pode estar no intestino. Isso porque, há muito tempo, os cientistas vêm estudando a ligação entre esse órgão e o cérebro e descobriram que sua ação vai muito além de participar da digestão dos alimentos. A explicação está na microbiota intestinal – ou seja, nos cerca de 100 trilhões de bactérias que o habitam.

Quando esse sistema está em desequilíbrio, pode ocorrer um aumento da inflamação do corpo, ativando uma resposta do sistema imunológico do organismo e alterando alguns neurotransmissores, como a serotonina. O resultado leva a alterações no cérebro e, consequentemente, no humor e comportamento do indivíduo.

Essa ligação, que os especialistas batizaram de eixo microbiota-intestino-cérebro, é um caminho de mão dupla, pois o que acontece na cabeça influencia no intestino e vice-versa. É por isso que, às vezes, sentimos dor de barriga quando estamos nervosos e dizemos que estamos enfezados quando nosso ânimo não está muito bom.

Suplemento que auxilia a saúde mental

É justamente para colocar ordem nesses micro-organismos que os probióticos orais são bem-vindos. Afinal, eles fornecem bactérias específicas que equilibram o ambiente. Quando o objetivo é proporcionar benefícios à saúde mental, o mais indicado são os chamados psicobióticos.

O primeiro lançado no Brasil foi o Probians, da Farmacêutica Apsen. Ele conta com duas cepas, os Lactobacillus helveticus R0052 e os Bifidobacterium longum R0175. Elas são as únicas aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) com alegação da redução das sensações de ansiedade. “E, apesar de termos outras variantes que podem ter ação benéfica no sistema nervoso central, é essencial analisar como elas se comportam juntas, se trabalham em sinergia. Por isso, fizemos um estudo comparando a ação do Probians com a do placebo durante 30 dias e comprovamos que ele, de fato, pode auxiliar a combater o estresse e a ansiedade”, explica Williams Ramos, gerente médico da empresa.

Cada profissional vai encontrar a melhor maneira de prescrever o psicobiótico. “Alguns têm observado na sua prática diária a oportunidade de antecipar a utilização do produto em períodos que podem gerar mais estresse e ansiedade no paciente, fazendo com que sua microbiota esteja equilibrada e seu organismo, pronto para enfrentar essas situações”, diz o psiquiatra Kalil Dualibi, professor e coordenador de psiquiatria da Universidade de Santo Amaro (Unisa), em São Paulo.

Impactos positivos do psicobiótico

Em aproximadamente um mês após o início da ingestão do suplemento já é possível notar os benefícios. “É importante destacar que esse tipo de produto oferece um excelente resultado sem risco de dependência, como pode acontecer com ansiolíticos e antidepressivos, aumentando, assim, a adesão ao tratamento”, ressalta Dualibi.

Para resultados ainda melhores, é importante investir na mudança de hábitos, como praticar atividades físicas, parar de fumar e ter uma alimentação equilibrada, composta por muitos elementos prebióticos, que funcionam como substrato para os probióticos.

Referências:

  1. Diop L, Guillou S, Durand H. Probiotic food supplement reduces stress-induced gastrointestinal symptoms in volunteers: a double-blind, placebo-controlled, randomized trial. Nutrition Research 2008; 28:1-5.
  2. Messaoudi M, Lalonde R, Violle N, et al. Assessment of psychotropic-like properties of a probiotic formulation (Lactobacillus helveticus R0052 and Bifidobacterium longum R0175) in rats and human subjects. British Journal of Nutrition 2010; 105(5):755-64.
  3. Messaoudi M, Violle N, Bisson JF, et al. Beneficial psychological effects of a probiotic formulation (Lactobacillus helveticus R0052 and Bifidobacterium longum R0175) in healthy human volunteers. Gut Microbes 2011; 2(4):1-6.
  4. Kazemi A, Noorbala AA, Azam K, et al. Effect of probiotic and prebiotic vs placebo on psychological outcomes in patients with major depressive disorder: A randomized clinical trial. Clinical Nutrition 2018; 1-7.

Comenrários

spot_img

Ultimas notícias